segunda-feira, 29 de setembro de 2014

CHEIOS DE VAZIOS



Estamos acostumados a viver em ambientes repletos de objetos, de pessoas, de coisas para fazer , de pensamentos e sentimentos que povoam nossa mente.
Precisamos estar com pessoas, inseridos na multidão, pois muitas vezes a solidão é uma realidade que nos assusta.
O Universo parece repleto de matéria, pois para onde olhamos vemos objetos "sólidos", matéria que sentimos, podemos apalpar e perceber sua espessura.
Buscamos a todo custo preencher o nosso interior com pensamentos, com ideias com projetos com sensações... fugimos do vazio.
Mas será que realmente este Universo, a vida, nós , estamos assim tão repletos?
A ciência tem demonstrado que o total de matéria existente no Universo corresponde no máximo a quatro por cento de tudo que vemos, o resto é a matéria escura, ou seja Vazio,
A Física quântica nos ensina que no interior da matéria, mais especificamente nos átomos, o vazio predomina, tirando algumas partículas básicas, a estrutura da matéria é formada de imensos vazios.
Como somos feitos de átomos podemos supor de igual maneira que dentro de nós também existem grandes vazios.
Então o grande desafio é perceber que estamos rodeados muito mais por vazios do que por matéria.
O budismo tem um conceito muito interessante, talvez um dos pilares da doutrina budista. Chama se vacuidade.
Para eles não há  coisas em si mesmo, porque toda a Natureza é perpassada por grande interdependência. Não existe uma árvore em si, pois ela dependeria de fatores externos como o clima , o solo, e de fatores internos como suas partes formadas por folhas, tronco e frutos. Existe o conceito árvore e entendemos quando alguém nos fala sobre ela, mas ela em si é vazia de significados e  essência
Assim também é uma ilusão acreditarmos que temos ou somos um "eu". Temos a percepção de algo em nós gerencia  pensamentos e sentimentos, mas de fato o eu é uma ideia distorcida formada por uma mente que se apega, que deseja.
Assim, se existem grandes vazios, se há grande interdependência há uma infinita possibilidade de mudanças. 
Muitas pessoas confundem o vazio com o Nada, mas o conceito budista se refere a Vazio como um grande mar de possibilidades, pois se não existe nada definido, nada sólido, tudo pode ser mudado , transformado. Não somos isto que pensamos hoje, podemos mudar, não somos os rótulos que a sociedade nos coloca, pois vazios em si mesmos, podemos nos transformar em qualquer possibilidade.
Essa percepção de vacuidade nos liberta das prisões cotidianas, dos relacionamentos fracassados, da vida rotineira.... sempre é possível  mudar, pois não somos sólidos, mão somos fixos, somos possibilidades!!!!
Poderíamos até fazer um paralelo entre essa ideia de vazio e ausência de ego ,na proposta do apóstolo São Paulo " Não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim." Eu nada sou, vazio, cedo o meu imenso vazio para que Deus, essa Energia da vida venha me preencher!!! Deus, o potencial maior de todas as possibilidades!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário