sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

QUEM PENSA EM NÓS?









Fomos acostumados desde tenra idade, a acreditar que somos uma identidade, um Eu. Ainda crianças, dependentes inteiramente de nossos pais, seres indefinidos, seríamos assim como extensões de nosso ambiente. 
O tempo vai passando e nos ensinam que temos um nome, pais, uma casa, um corpo , falamos e pensamos. Desse modo, cria-se pouco a pouco a noção de um Self que está em alguma parte de nosso cérebro.
Importante, no entanto lembrar, que já fomos muitos eus, afinal não existe mais aquela criança inocente que vivia para brincar, nem mesmo aquele adolescente cheio de sonhos e conflitos. Hoje nos tornamos adultos com responsabilidades, que entendem ser necessário constituir relações familiares, com amigos , enfim com a sociedade.
Diante disso, poderia perguntar: Se existe um Eu, onde ele estaria?
As religiões defendem que o ser humano é imortal, posto que tem uma alma, e essa alma seria o conceito que em psicologia conhecemos como Eu, e é exatamente essa alma e esse eu que passaria para o Além, ou seja qual for o lugar que habitaríamos
Posta essa observação, e diante das percepções que temos todos os dias, imaginemos que nossa alma , ou Eu, ou espírito, habite o nosso cérebro, visto que conseguimos pensar, refletir de maneira subjetiva, como se houvessem vozes dentro da nossa cabeça
Uma reflexão interessante foi proposta pelo neurologista Sam Harris, autor de um livro chamado Despertar.
Nele, o autor argumenta que existem situações em que é necessário fazer uma operação, principalmente em crianças que sofrem de epilepsia,onde os hemisférios cerebrais são desconectados. Acredito que todos sabem que nossos hemisférios cerebrais, o esquerdo e direito, tem funções específicas, trabalham em paralelo, mas também individualmente. O lado direito comanda o lado esquerdo do corpo e está ligado as emoções, a arte, a espiritualidade, enfim é o que nos torna humanos. Já o lado esquerdo, que comanda o lado direito do corpo, é analítico, racional, ligado a códigos, Matemática e principalmente responsável pela linguagem humana.
Ao separarem os hemisférios os médicos perceberam que o cérebro consegue trabalhar normalmente, pois há uma compensação em cada hemisfério em relação ao outro. No entanto o mais curioso nessa divisão cerebral, é que aparentemente cada hemisfério pensa de forma independente  Em outras palavras, existe autonomia em cada um deles. Isso levanta questões filosóficas, morais e religiosas muito interessantes e complica a resposta a pergunta que fiz acima : Onde está nossa alma dentro de nós?
Se respondermos que ela está no cérebro, então eu diria: Mas em qual hemisfério? Supostamente alguns  falariam que seria no esquerdo pois ele conseguiria verbalizar através da linguagem , no entanto  a pesquisa com o cérebro dividido mostra que o hemisfério direito, mudo, consegue através dos gestos comunicar seus desejos e pensamentos. A questão religiosa ficaria mais instigadora. Pelo víes cristão a alma que aceita Jesus será conduzida ao Paraíso, enquanto aquelas rebeldes irão para o Inferno. Mas diante, da pesquisa dos neurologistas, poderia acontecer, de que, o hemisfério esquerdo aceitasse a Cristo, mas o lado direito não concordasse. Como julgar moralmente que parte de nós decidiria? Qual delas iria para o céu ou para o inferno? É claro, que isso torna inviável  essas noções e aponta outros caminhos de pesquisa e reflexões! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário