sexta-feira, 13 de maio de 2016

O QUINTO ELEMENTO




Olhando o mundo atualmente, verificamos que aparentemente, o caos, a desordem, a desarmonia e o desamor imperam, apesar de saber que existem boas práticas em todos os lugares 
 Talvez essa visão seja fruto de uma imersão a que somos expostos pela mídia de notícias de roubos, estupros, assassinatos e corrupção.
Sabemos  que a história da Humanidade não é muito diferente. Desde o aparecimento do homem no Planeta temos presenciado momentos de intensa violência, no entanto não havia a mídia  impressa e as redes sociais para nos inteirar dessa brutalidade.
Sempre houve teorias sobre essa questão das origens dessa situação caótica em que o mundo está inserido, talvez a mais conhecida seja o paradigma cristão, que ensina que pecamos e que esse pecado gerou uma disfunção muito grande em tudo, seja nas sociedades que criamos como na própria Natureza. Como ensina o primeiro capitulo do Livro  de Romanos , Novo Testamento, não só o homem se corrompeu... a própria Natureza está a cada dia se deteriorando.
Há no entanto outras visões. Dias atrás assisti a um filme , se não me engano de 1997, intitulado, o Quinto Elemento. No enredo é retratado a história de quatro pedras que são deixadas na Terra e representam as raízes da formação do Universo: Uma era formada pelo elemento Terra, a outra pelo elemento água, outra pelo elemento fogo e finalmente a outra pelo elemento ar. Essas pedras deveriam ser protegidas pelos humanos, da influência de seres com intenções malignas. Havia uma personagem que daria a ativação a essas pedras e livraria o mundo das forças do Mal restaurando o equilíbrio perdido. Era representado por uma bela jovem, e pura. 
A película em questão nos remete, a uma pensamento defendido por um filósofo pré socrático que viveu entre os séculos VII e VI A.C, e seu nome era Empédocles.
A filosofia de Empédocles tentava conciliar as ideias   de Heráclito que dizia que tudo se transformava ( o amor) contra Parmênides que dizia que tudo era estático ( os quatro elementos) Por essa teoria havia 4 materiais: terra, água, fogo e ar. Eles, ao se misturarem se transformariam em todas as coisas que conhecemos. Mas para que houvesse ordem e harmonia era preciso um quinto elemento. O amor. Era através dele que haveria o equilíbrio entre todas as coisas. Mas havia também uma força contrária, a discórdia. Quando ela preponderava sobre o mundo haveria caos e desordem.
Talvez  , na existência atual nos distraímos ao guardar as nossas raízes, os nossos princípios e eles caíram em mãos erradas. Assim, as forças da discórdia transformaram nossos princípios e valores em grande caos e ´confusão. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário