quarta-feira, 17 de setembro de 2014

A HORA DA ESTRELA


Por vezes, nossas vidas são como colchas de retalhos, mostrando tantas divergências,  situações, histórias mal vividas, momentos não resolvidos. Temos uma rotina diária, massificados por uma estrutura social que delimita muito bem nosso espaço geográfico, até onde podemos pensar e exercer nossa "cidadania".
E as amarras são fortíssimas, por mais que sejamos conscientes, que tenhamos um forte senso crítico, não há espaço para crescer, expandir nossas possibilidades. A angústia nos consome e nos cobrimos com a mediocridade.
Talvez a alguns leitores , isso possa parecer um desabafo, um momento de pessimismo. Mas é o puro retrato em que vive a maioria dos sete bilhões de seres humanos que existem no Planeta.
Me faz lembrar Mácabea personagem do livro a Hora da Estrela de Clarice Lispector: Pobre, feia, sem dotes intelectuais, sem carisma, a personagem passeia pelo livro desfilando suas limitações.
Sem saber mesmo quem é, e assim não ter condições de se impor, começa namorar , mas é trocada pela amiga de serviço cujo pai era açougueiro e propiciaria a Olímpio de Jesus uma chance de melhorar de vida.
Desolada, procura conforto em uma cartomante que lhe diz  que teria seu momento de glória, e que isso viria através do "estrangeiro"
De fato , ao sair da cartomante , Mácabea é atropelada por Hans , que dirigia um Mercedes Bens. Assim, a personagem tem sua hora da estrela, seu momento de libertação, onde idosos, mulheres, crianças, jovens, todos a olham ali, caída sem vida no chão!
Como é temeroso perceber que muitos de nós vivemos situação parecida. Muitos sem estudos, sem condições de ascensão social, fora dos padrões de beleza e de status  promovidos pela mídia,. caminhamos como Mácabea, em cidades que não foram feitas para nós,. como estrangeiros em terras estranhas.
Aníbal general cartaginês cunhou uma frase célebre " Se não existe um caminho, tratemos de criar um"
Vamos tomar uma atitude radical. Vamos sacudir esse comodismo, essa mediocridade... Medíocre é fazer sempre as mesmas coisas, é se conformar com o que somos, acreditando não haver saídas, e viver na nossa zona de conforto sem mudanças. e pensar que não temos mais idade para sonhar.....
A hora de estrela de Macabea, não pode e nem deve ser nosso destino!
Vamos criar outros caminhos... uma hora tem que dar certo!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário